Por todas as crianças que diáriamente sofrem atentados contra a sua natureza fisica, psicologica e emocional...Estrelas Cadentes são estas crianças...

.posts recentes

. Faça pausa na musica para...

. Somos a especie mais amea...

. O Mundo dá Voltas...

. Afeganistão

. Arrepiante

. Crianças

. Adopções

. Escravatura na China

. Video de 1992...o que mud...

. Doação de orgãos

. Vegan 13 motivos para...

. Receita ecológica de sabã...

. Mutilação Genital Femenin...

. Decisões..

. FELIZ NATAL

. A vida é sempre uma prend...

. Contrastes

. Programa Nacional de Vaci...

. Fome

. Aborto..

.arquivos

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Novembro 2008

. Maio 2008

. Junho 2007

. Maio 2007

. Fevereiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

.links

.Calendário


.ATENTA...

logo da campanha Por Darfur

.e-mail

Fale Comigo
Locations of visitors to this page

.Musica para relaxar


Music

Terça-feira, 3 de Fevereiro de 2009

Arrepiante

Deve ser horrivel ter um filho desaparecido, deixo aqui um texto da mãe do Rui Pedro Mendonça

 

http://www.ruipedro.net

 

"Discurso D. Filmena em Fátima

Bom dia, Sou uma mãe que hoje aqui em Fátima junto da Nª Srª e de tantas pessoas amigas unidas, procura, pelo seu testemunho, representar as crianças portuguesas desaparecidas.
Sou a mãe do Rui Pedro.De um filho amado que desapareceu há quase nove anos e meio.Mesmo que eu fosse capaz de dizer por palavras o sofrimento que transporto, não chegavam todas as que existem.Nas entranhas da minha alma o desaparecimento do meu filho transportou-me para uma mistura de dor infinita, de impotência injusta, de absurdo absoluto, de desespero incontido.
Sou mãe. E como mãe , não perdi a esperança que me mantém viva.E como crente tenho fé. E na fé busco as forças daquela esperança.E na esperança, procuro o alento para, na vulnerabilidade do meu ser sofrido, acreditar que, apesar de um mundo atordoado pelo mal, pela indiferença, pelo egoísmo, pela cultura da morte e da indignidade, o meu filho virá ao meu encontro abraçar-me e dizer-me como uma criança que já não é, " Mãe, amo-te".
No vazio da ausência esventrada, no absurdo de um mal infinito nada pode dissolver na minha mente e no meu coração.É um sofrimento
que não tem medida por a ter demais.Porque é invasivo até à mais profunda e ínfima fracção da minha natureza e da minha condição humana.Porque é corrosivo nos mais recônditos poros da minha alma e da sensibilidade.Porque não tem intervalos no imaginário da felicidade interrompida e da perfídia contra a inocência e a pureza.Porque é destrutivo apesar da esperança que não se desvanece.Porque o futuro parece não ter lugar para além da memória do passado e da inquietude opressiva do presente.E como dizia Pascal "Tudo o que é incompreensível, nem por isso deixa de existir".
Perante tudo isto, todos os dias, todos estes 3400 dias em que o Rui Pedro não me tem dito "até amanhã, Mãe", choro mesmo que sem lágrimas e em silêncio interior que é onde encontro, na minha memória dilacerada e na minha luta pela esperança de que jamais desistirei.
Todos quanto me escutam aqui, sabem que os filhos são a garantia da nossa eternidade.Pela sua presença ou pela sua ausência, é do respeito pela vida e pela família que se trata e é, também, pelas pessoas boas que procuramos a força e o alento no cruzamento dos corações.
Foi com esta ideia da Esperança, do sentimento do amor e da construção da solidariedade que decidimos constituir uma Associação que una todas as pessoas que possam dar o seu contributo para os fins que presidiram à sua criação :a ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DAS CRIANÇAS DESAPARECIDAS. "
Filomena Teixeira.(discurso lido em Fátima, no dia 27/07/2007, no salão Bom Pastor, no Centro Pastoral Paulo VI, perante 200 pessoas de várias nacionalidades)

publicado por Sancha às 19:47

link do post | comentar | favorito
|

1 comentário:
De Sônia a 22 de Novembro de 2009 às 13:48
É muito triste sua história.
Eu morreria por um filho e sei como se sente.

Que Deus tenha piedade de tí e te console todos os dias.


Comentar post